Curta e Siga


Lombalgia e a Ginástica Laboral






Um dos principais problemas que a ginástica laboral lida é com dor na coluna principalmente a lombalgia.  Ela é genericamente definida como intolerância à atividade devido a sintomas lombares associados à sintomatologia nos membros inferiores e pode ser classificada em aguda, sub-aguda ou crônica em virtude principalmente do fator tempo.

O avanço tecnológico foi benéfico no que se refere ao aumento da produtividade, segurança, melhoria da qualidade dos produtos e facilidade na execução dos serviços, no entanto, por outro lado, o trabalhador ficou sujeito às diversas conseqüências do no uso de tais ferramentas. Os movimentos repetitivos, no qual o trabalhador utiliza sempre os mesmos segmentos corporais contribuiu para o aumento das doenças do trabalho, específicas em cada categoria profissional, agravadas pelo sedentarismo, estresse e sobrecarga de atividade.  Vários dos problemas que afetam a realidade do trabalhador de escritório e causam as lombalgias podem ser evitados.

É fundamental identificar os fatores de risco da lombalgia, que incluem características ocupacionais ou psicológicas. As ocupacionais, de modo geral, são empregos que envolvam levantamento de peso acima da capacidade do empregado ou trabalho em posições inadequadas. Já os fatores psicológicos se associam, geralmente, a quadros depressivos. O consumo de cigarros e a obesidade também se associam ao risco de desenvolver dor na região lombar.

Segundo a Pesquisa Nacional da Saúde, feita pelo IBGE em parceria com o Ministérios da Saúde, 15 a 20% dos adultos tem lombalgia, sendo que desse número a maioria, (90%), é considerada inespecífica, ou seja, não está relacionado diretamente a nenhum caso clínico e pode ocorrer em todas as faixas etárias.

Os principais fatores envolvidos na "síndrome da dor lombar" são a fraqueza muscular, principalmente na região abdominal e a baixa flexibilidade articular no dorso e nos membros inferiores. No entanto, os fatores associados às atividades ocupacionais se apresentam como determinantes nas incidências de lombalgias. A má postura é um desses determinantes.

A postura de cada pessoa pode ser alterada por vários fatores, por exemplo:

  • Contratura fascial e musculotendinosa- A contratura das estruturas dos tecidos moles, especialmente a fáscia lata, músculos isquiotibiais, cápsula anterior do quadril e peitorais afetam a postura.
  • Força muscular- Particularmente importante é a força do glúteo máximo, músculos abdominais, eretores da coluna e adutores da escápula.
  • Inclinação pélvica- A pelve é a base sobre a qual repousa a coluna vertebral. Qualquer alteração correspondente na posição da quinta vértebra lombar em relação ao sacro, o que, a seu turno, altera a postura de toda a coluna. A inclinação da pelve é usualmente controlada pelos músculos situados próximos ao quadril. Ela é acentuada pela contração dos extensores do quadril; glúteos, isquiotibiais e porção posterior dos adutores dos quadris, e é diminuída pela contração dos flexores do quadril; iliopsoas, reto femoral, pectíneo e a porção mais anterior dos adutores do quadril. A coluna é fletida pelos músculos iliopsoas e abdominais e é estendida pelo eretor da coluna. Os músculos abdominais atuam sinergergicamente com os glúteos, o último diminuindo a inclinação pélvica e o primeiro reduzindo a lordose lombar. A mobilidade da coluna vertebral é maior na região lombar; na coluna torácica a rotação é de considerável magnitude, mas a flexão e a extensão são limitadas. Os músculos da respiração produzem um efeito secundário na postura por haver alguma extensão da coluna dorsal a cada inspiração.

A dor lombar pode surgir também em decorrência de movimentos comuns, após espirro, exercícios, esforços violentos, traumas ou até mesmo por causas extrínsecas não relacionadas com a coluna lombar. Segundo Netto, a lombalgia é um sintoma que pode estar relacionado a certas doenças e são poucos os pacientes que têm um diagnóstico definido durante a avaliação inicial. O exame clínico apresenta dor à palpação e à movimentação das cadeias musculares próximas à coluna vertebral. O paciente apresenta dificuldade em movimentar o tronco em direção aos joelhos estendidos e a dor piora no final da tarde, podendo se agravar com a movimentação excessiva ou o estresse emocional.

  A lombalgia é uma patologia do sistema músculo esquelético, que ocorre com frequência entre pacientes em idade produtiva e tem causas múltiplas, mas que podem ser associadas invariavelmente ao local de trabalho8. Isto leva a um grande impacto sócio-econômico fazendo com que haja uma necessidade de incentivar os meios de prevenção como ergonomia e exercícios físicos com vistas a garantir uma melhor qualidade de vid.

Com ajuda daqui


Dicas para Profissionais:
  • Exercícios Terapêuticos pra quem trabalha sentado(a)
  • Curso online de Ginástica Laboral
  • Laboral School - Escola Avançada de Ginástica Laboral

  • Nos Siga nas Redes Sociais: Twitter, Facebook, Instagram, Youtube.
    Adicione no grupo do Whatsapp


    Deixe seu comentário e nos marque(@Sua Saúde) pra gente ver:

    Nenhum comentário